Conceito

 

O lançamento da Ninja H2 há dois anos foi recebido com espanto. A colaboração em um nível sem precedentes entre companhias dentro do grupo Kawasaki, culminou com a produção de um modelo Supersport com Supercharger, único no mundo, o que comprova a proeza tecnológica da Kawasaki. Inúmeras inovações de engenharia tornaram possíveis sua performance fenomenal. Sua manufatura e estilo requintados fizeram cabeças virarem e queixos caírem. Mas o que realmente impressiona é sua experiência sensorial única, oferecida aos que ousaram pilotá-la. A combinação de aceleração intensa e dirigibilidade em nível de circuitos para modelos Supersport difere de qualquer máquina que um motor aspirado possa fornecer.
Para 2017, a nova Ninja H2 modelo 2018 se beneficia de vários upgrades, incluindo o mais novo pacote eletrônico da Kawasaki, e o cuidado na ação da suspensão de alto padrão da Öhlins TTX (amortecedor traseiro). Além disso, ao modelo padrão agora junta-se a Ninja H2 Carbon modelo 2017, uma edição limitada que traz carenagens em fibra de carbono. Os fãs da Ninja podem esperar uma experiência ainda mais emocionante.

Tecnologia

 

No desenvolvimento do supercharger para a Ninja H2, os projetistas de motores de motocicletas da Kawasaki contaram com a colaboração de outras empresas do grupo, como a Gas Turbine & Machinery Company, Aerospace Company e a Corporate Technology Division.

Ao desenvolver um supercharger específico para a Ninja H2, os projetistas conseguiram a máxima potência e a intensa aceleração que buscavam, sem as limitações dos produtos disponíveis no mercado automotivo.

Para oferecer aceleração intensa e velocidade máxima em uma gama nunca antes experimentada, era essencial que o motor fosse capaz de produzir grande potência mas mantendo um conjunto leve e compacto. Com exceção de pequenas diferenças internas e dos sistemas de admissão e escape ajustados para atender aos requisitos de emissão de poluentes para uso em vias públicas, o motor com supercharger é essencialmente o mesmo do modelo H2R para utilização em circuito fechado.

Ao agregar um supercharger ao motor, a Ninja H2 conseguiu proporcionar uma potência máxima sem precedentes para um motor de capacidade cúbica similar a outras motocicletas superesportivas do mercado. Com um projeto “feito em casa”, o imenso potencial deste motor tetracilíndrico altamente compacto e altamente eficiente de 998 cm³ é um testemunho do conhecimento combinado do grupo Kawasaki.

O projeto do quadro teve como metas assegurar o posicionamento estável em altíssimas velocidades, permitir excelente performance em curvas em um autódromo, e finalmente oferecer uma postura geral confortável. O novo quadro de treliças fornece tanto a resistência para suportar a grande potência do motor com supercharger, como a flexibilidade balanceada para permitir estabilidade e maleabilidade para a pilotagem em alta velocidade.

A suspensão dianteira de alta performance Kayaba AOS-II com separação entre ar e óleo e a suspensão traseira do tipo monochoque totalmente ajustável da Kayaba oferecem uma estabilidade fantástica. O par de discos flutuantes Brembo de 330 mm de diâmetro e espessura de 5,5 mm entregam uma excepcional força de frenagem.

À medida que a velocidade aumenta, a resistência do vento aumenta exponencialmente. Para uma pilotagem eficiente em alta velocidade, uma combinação de alta potência e fina aerodinâmica era necessária. O desenho das carenagens precisava minimizar o arrasto e melhorar o controle sob alta velocidade. A colaboração da Kawasaki Aerospace Company foi fundamental para a criação de formas aerodinamicamente esculpidas para assegurar a máxima eficiência aerodinâmica.

Entre os dispositivos aerodinâmicos desenvolvidos para a Ninja H2 para auxiliar na geração de downforce estão os espelhos com seções transversais em formato de aerofólio e as carenagens cuidadosamente projetadas para diminuir o arrasto e ao mesmo tempo refrigerar o motor.

Embora a altíssima performance sem precedentes seja o próprio conceito fundamental da Ninja H2, ela não foi desenvolvida para ser uma moto de competição cujo único propósito seja fazer voltas rápidas em um circuito, e portanto ela não precisava se limitar às acomodações espartanas encontradas nos modelos superesportivos.

A interface homem-máquina da Ninja H2 permite o aproveitamento de toda sua performance com razoável conforto. Embora a posição de pilotagem, a ergonomia e o layout do cockpit tenham sido projetados primeira e principalmente para colocar o piloto na melhor posição para controlar esta incrível máquina, a impressão pela perspectiva do piloto não é de austeridade, mas de qualidade de construção primorosa, com controles de alta tecnologia e acabamento impecável.

Complementando a incrível performance do motor e do chassis da Ninja H2, uma eletrônica avançada trabalha nos bastidores fornecendo suporte à pilotagem.

Os principais sistemas de suporte eletrônico presentes na Ninja H2 são:
- KIBS: Sistema de freios ABS inteligente, reduz o tranco no manete e no pedal;
- KTRC: Sistema de controle de tração aperfeiçoado com 9 modos, mais modo para chuva;
- KLCM: Sistema de controle de largada, ajuda a evitar empinamento e derrapagem;
- KEBC: Sistema de controle de freio motor, reduz o efeito do freio motor;
- KQS: Sistema de troca rápida de marchas.
De acordo com a preferência do usuário, vários desses sistemas podem ser desligados.

A utilização da unidade compacta da Bosch permite adicionar mais uma camada de precisão nos sistemas já de alto nível KTRC, KLCM e KIBS.
Novo.
* A IMU trabalha ao longo de 6 graus (6 DOF) de liberdade a serem monitorados. A aceleração ao longo dos eixos longitudinal, transversal e vertical, mais a taxa de rolagem e a taxa de passo são medidas. A taxa de guinada é calculada através do software original Kawasaki.

Para garantir um design digno de um modelo que ostenta os nomes “Ninja” e “H2”, o conceito adotado para a estilização da Ninja H2 foi “Design de Intensa Força”. Para se tornar o modelo topo de linha da marca Kawasaki, eram necessários presença e estilo que refletissem a sua incrível performance. Mas o design é muito mais do que simples cosmética.

O desenho das linhas chama a atenção do olhar, mas a Ninja H2 também possui uma beleza funcional: cada peça foi esculpida aerodinamicamente para obter estabilidade em altas velocidades; o desenho das carenagens também maximiza a refrigeração e a dissipação de calor, contribuindo para a incrível performance do motor; e o duto do Ram Air foi posicionado de modo a maximizar o fluxo de ar fresco para o supercharger.

Suspensão Dianteira: A suspensão de corrida da Kayaba KYB AOS-II oferece uma magnífica performance na estrada. Esta é a primeira vez que é utilizada na indústria de motocicletas uma suspensão de alta performance baseada nos modelos de motocross com separação entre ar e óleo.

Suspensão Traseira
A inclusão do aclamado amortecedor traseiro TTX da Öhlins oferece ao piloto inúmeros benefícios:
- Maior estabilidade traseira, que contribui para uma melhora na performance em curvas.
- Fantástico retorno do pavimento.
- Maior estabilidade em altas velocidades.
- Na cidade, o amortecedor flexível absorve lombadas com facilidade, adicionando conforto na pilotagem.

O desenho avançado e de visual high-tech do painel de instrumentos converge para montar a imagem de estar pilotando um caça. Os controles e interruptores manuais deixam todas as opções disponíveis para os pilotos literalmente na ponta de seus dedos.
O novo painel apresenta um visor para o angulo de inclinação: a função que registra o ângulo máximo de inclinação (graças à inclusão da IMU – Unidade de Medição Inercial, um novo indicador de sobrealimentação (boost) e um indicador para a IMU.

Uma permissão especial foi concedida para a utilização da Kawasaki River Mark na Ninja H2.

A sua utilização em produtos é reservada para modelos de signicação histórica.

 

Precisão e Perfeição

Mais do que qualquer outra motocicleta produzida pela Kawasaki até hoje, a Ninja H2 é um ícone de manufatura, qualidade de construção e primoroso acabamento. A brilhante técnica de pintura prata-espelhada foi desenvolvida especialmente para a Ninja H2. As soldagens do novo quadro de treliças são consistentemente elegantes. A montagem artesanal em uma área dedicada exclusivamente a esse modelo assegura a qualidade e acabamento imaculados.

novo Ninja H2 Carbon

 

Somando-se à Ninja H2 padrão, um modelo de edição limitada estará disponível no modelo 2017. Este modelo conta com uma carenagem frontal em fibra de carbono, similar à da Ninja H2R, uma pintura especial e uma placa com um número de série. Apenas 120 unidades da edição limitada da Ninja H2 Carbon serão produzidas.

 

Leve e altamente rígida, a carenagem frontal distingue imediatamente a Ninja H2 Carbon da Ninja H2 padrão. Isto cria uma imagem parecida com a da Ninja H2R, onde a peça em fibra de carbono confere uma presença mais imponente.

Para diferenciar ainda mais a Ninja H2 Carbon existe uma nova variação da pintura à base de prata da Kawasaki com um tom fosco. A nova pintura é a mesma usada no modelo Ninja H2R.

* Assim como na Ninja H2R, o quadro da Ninja H2 Carbon é verde.

Cada uma das 120 unidades da Ninja H2 Carbon é numerada individualmente com um número de série estampado na placa do Supercharger no lado direito do motor.

 

Especificações

Ninja H2 – Modelo 2018 / Ninja H2 Carbon – Modelo 2017

MOTOR
 Tipo  Refrigeração líquida, 4 tempos, 4 cilindros em linha
 Cilindrada  998 cm3
 Diâmetro x curso  76,0 x 55,0 mm
 Taxa de compressão  8,5 : 1
 Sistema de vãlvulas  DOHC, 16 válvulas
 Sistema de combustível  Injeção de combustível: ø50 mm x 4 com injetores duplos
 Sistema de admissão  Kawasaki Supercharger
Ignição Digital
Partida Elétrica
Lubricação Lubricação forçada, cárter úmido com radiador de óleo
TRANSMISSÃO
Transmissão 6 velocidades, retorno, dog-ring
Relação nal Por corrente
Relação de redução primária 1,551 (76/49)
Relações de marcha: 1a 3,188 (51/16)
Relações de marcha: 2a 2,526 (48/19)
Relações de marcha: 3a 2,045 (45/22)
Relações de marcha: 4a 1,727 (38/22)
Relações de marcha: 5a 1,524 (32/21)
Relações de marcha: 6a 1,348 (31/23)
Relação de redução nal 2,444 (44/18)
Embreagem Banhada em óleo e multi discos, manual
QUADRO
Tipo Com treliças, aço de alta tensão, com balança traseira com chapa de fixação
Curso da roda: Dianteiro 120 mm
Curso da roda: Traseiro 135 mm
Pneu: Dianteiro 120/70ZR17M/C (58W)
Pneu: Traseiro 200/55ZR17M/C (78W)
Caster (rake) 24,5°
Trail 103 mm
Ângulo de esterçamento (Esq/Dir) 27°/ 27°
SUSPENSÃO
Dianteira: Garfo invertido de ø43 mm com amortecimento de retorno e de compressão, pré-carga na mola
Traseira: Novo amortecedor Uni-Trak, Öhlins TTX36 amortecido a gás com reservatório do tipo piggyback, com ajustes para compressão e retorno, mais ajuste de pré-carga da mola e molas do tipo top-out
FREIOS
Dianteiro: Tipo Duplo, semi-flutuante, com discos Brembo de ø330 mm
Dianteiro: Pinça Dupla com fixação radial, monobloco e 4 pistões opostos Brembo M50
Traseiro: Tipo Simples com disco de ø250 mm
Traseiro: Pinça Brembo, 2 pistões opostos
DIMENSÕES
Comprimento total 2.085 mm
Largura total 770 mm
Altura total 1.125 mm
Entre eixos 1.455 mm
Altura mínima do solo 130 mm
Altura do assento 825 mm
Peso em ordem de marcha 238 kg
Capacidade do tanque 17 litros
PERFORMANCE
Potência máxima 150,8 kW (205 cv) a 11.000 rpm
Potência máxima com Ram Air 158,3 kW (216 cv) a 11.000rpm
Torque máximo 133,5 N.m {13,6 kgf.m} / 10.500 rpm

Galeria

 

Solicite uma Proposta

Período de Reservas Encerrado.

A Ninja H2 modelo 2018 será importada oficialmente para o Brasil sob encomenda. 

.

Copyright 2016/2017 - Kawasaki Motores do Brasil LTDA